[Análise] Os animes também ensinam – Naruto

Para quem acompanha  ou é fã de Naruto,  convido a pensar um pouco sobre alguns elementos da história. E antes de começar a falar sobre esses tais elementos, duas reflexões são essenciais: você pode definir uma pessoa através dos sonhos dela? E, os meios de se obter a paz realmente importam?

Naruto não nasceu para ser um jinchuuriki, mas por uma serie de fatos ele acabou se tornando um. E o impacto disso sobre a vida do jovem foi grande. Dificuldade em fazer amigos e ser odiado por muitas pessoas da vila, demonstra o fato de que não suportamos ficar sozinhos e precisamos ser amados, ideia essa que é refletida no sonho de Naruto de ser um ninja notável, sendo reconhecidos por todos como um Hokage.

Paralelamente a história do Naruto, há outro jovem que conhece o inferno da solidão, talvez de maneira mais acentuada, Uchiha Sasuke. Sasuke odiou o próprio irmão a maior parte de sua vida, Uchiha Itachi, por ter matado os membros de seu clã e apenas ter poupado seu irmão caçula, no caso, Sasuke.

Quando Naruto e Sasuke constroem uma amizade e percebem que são ligados pela solidão, e de certo modo são capazes de entender um ao outro, a história pode parecer um pouco piegas, mas você que tem aquele amigo de infância, que tem um irmão, ou irmã, até onde você iria por eles? E caso você não tenha poder suficiente para salvá-los quando precisarem, de onde tirará forças?

Naruto recorreu muitas à Kyuubi quando já não apresentava forças. Isso mostra um lado de que certas pessoas abririam mão da sanidade e até mesmo matariam quem quisesse tirar aqueles que elas amam.

Todos somos jinchuurikis de um “demônio” sem caudas que nasce toda vez que o medo extremo e falta de esperança aparecem, chamado insanidade.

A história se desenvolveu e a grande guerra ninja começou. E no meio desse caos, surgiram as duas perguntas que fiz no início do texto. O Plano Tsuki no Me refere-se a criar uma “paz”, paz a qual Naruto diz ser falsa. Mas a paz realmente pode ser alcançada? E o maior paradoxo: guerrear pela paz vale a pena? Vocês percebem que a própria ideia de paz pode ser apenas um genjutsu? Ou seja, apenas uma ilusão.

Enquanto a Naruto e Obito, que já compartilharam do mesmo sonho, agora se encontram em lados opostos do campo de batalha, lutando estranhamente pela mesma coisa, mas através de meios distintos. O que fez que se tornassem inimigos? Está história mostra a ideia do “bem” e do “mal” se relacionando com tanta delicadeza, que você poderia mudar sua opinião sobre o Naruto, e isso seria aceitável, dizendo que Naruto está errado por não aceitar a paz, mesmo que ilusória, proposta por Madara. Sasuke, Itachi, Gaara, Madara e Naruto mostram que no início todos temos sonhos, algo para defender, mas o que somos é o fruto das decisões que tomamos em nossas vidas. Mostrando que sonhos são importantes sim, mas dependendo de como nossa vida passa, eles podem se tornar apenas memórias e não definidores da nossa vida como a princípio deveriam ser.
(V.H.S.C.)

———————–

Fico muito feliz com a publicação deste post do meu amigo Vítor Hugo. Espero que ele escreva mais posts assim para nós e se torne um membro do Balões Quadrados. Comentem, pessoal!

Anúncios

4 Respostas para “[Análise] Os animes também ensinam – Naruto

  1. cara adorei o seu post ele assim como o anime/manga naruto nos fazem refletir sobre oque realmente é a paz e se é possivel alcança-la realmente….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s